.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo

Notícias

Da esquerda para a direita, Luís Geraldo Sant'Ana Lanfredi, juiz auxiliar da Presidência e coordenador do DMF; Conselheiro Bruno Ronchetti; e Hugo Leonardo, Diretor do IDDD.Foto: Gil Ferreira/Agência CNJ
Os crimes contra o patrimônio, como roubo, furto e receptação, e o tráfico de entorpecentes respondem por mais de 90% dos casos de prisão em flagrante registrados em São Paulo nos 10 primeiros meses de implantação das audiências de custódia. A constatação faz parte de uma pesquisa apresentada pelo diretor do Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD) Hugo Leonardo, nesta quinta-feira (23/6), no segundo dia do II Seminário sobre Tortura e Violência no Sistema Prisional e no Sistema de Cumprimento de Medidas Socioeducativas – Atuação do Poder Judiciário no Enfrentamento à Tortura, que acontece até esta sexta, no Supremo Tribunal Federal (STF).