.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo

Notícias

Até o momento, Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso Sul, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Tocantins e Sergipe concluíram o cadastro no BNMP 2.0..FOTO:G.Dettmar/AG.CNJ
Com a inclusão de dados da Bahia, do Rio Grande do Norte e do Distrito Federal no Banco Nacional de Monitoramento de Prisões (BNMP), o Cadastro Nacional de Presos ultrapassou, nesta segunda-feira (14/5) o registro de mais de 300 mil detentos no sistema carcerário brasileiro.
Secretário Geral do CNJ, juiz Júlio Ferreira de Andrade se reúne com o presidente do TJ-CE, Des. Francisco Gladyson Pontes, e o juiz auxiliar Luciano Lima. FOTO: TJ-CE
Dando continuidade às visitas para acompanhar de perto a implantação do Banco Nacional de Monitoramento de Prisões (BNMP), nesta quinta-feira (3/5), o secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Júlio Ferreira de Andrade, esteve no Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE), em Fortaleza.“A direção do tribunal está ciente da importância da ação e comprometida com a execução do projeto”, afirmou Andrade.
 Acre,  Alagoas,  Amapá, Goiás, Piauí, Roraima e Sergipe cadastraram 100% de seus presos do BNMP. FOTO: G.Dettmar/AG.CNJ
Com o cadastramento de 4.031 presos do Estado do Piauí no Banco Nacional de Monitoramento de Prisões (BNMP), concluído nesta terça-feira (1º/5), já são sete os estados que têm 100% dos dados de suas respectivas populações carcerárias incluídos na plataforma criada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). São eles: Acre, Alagoas,  Amapá, Goiás, Piauí, Roraima e Sergipe.
Até o momento, 4.054 presos foram cadastrados no sistema, cerca de 35% do total de detentos da Paraíba. FOTO: TJ-PB
O número de presos cadastrados pelo Tribunal de Justiça da Paraíba no Banco Nacional de Monitoramento de Prisões (BNMP)cresceu 88% na semana passada de abril (15 a 21/4).Essa foi a informação transmitida ao secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Júlio Ferreira de Andrade, que se reuniu nesta quarta-feira (25/4), em João Pessoa, com o presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB), desembargador Joás de Brito Pereira Filho.