.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo
Brasília 14 06 2019 Encerramento do II Encontro Nacional de Gestores de Pessoas do Poder Judiciário.Foto:G.Dettmar/Ag.CNJ
Brasília 14 06 2019 Encerramento do II Encontro Nacional de Gestores de Pessoas do Poder Judiciário.Foto:G.Dettmar/Ag.CNJ

Durante o último dia do Encontro Nacional de Gestores de Pessoas do Poder Judiciário, promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), nesta sexta-feira (14/6), o conselheiro Valdetário Monteiro, presidente da Comissão Permanente de Eficiência Operacional e Gestão de Pessoas, apresentou o Qualijus (Programa de Gestão da Qualidade) do Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR) como uma boa prática a ser adotada pelos demais tribunais do país.

O programa de Roraima consiste na elaboração de diagnóstico sobre os pontos de dificuldade do tribunal e, a partir daí, buscar a promoção de qualificação para magistrados e servidores, visando sanar esses gargalos. Depois da capacitação, os participantes voluntários passam por uma avaliação para a concessão de um selo de qualidade, caso atendam todos os critérios do programa.

O conselheiro disse que a intenção da apresentação no momento deste encontro é que a ideia seja multiplicada para, a partir daí, fazer com que fluam resultados ainda melhores. “Conheci o programa e convidei o desembargador Mozarildo Cavalcanti a fazer uma apresentação para que a ideia seja levada para todos os tribunais. Recomendo que busquem o máximo de informações com a equipe de Roraima e tentem adaptar essa ação nos tribunais de vocês. O desafio é adequar as engrenagens para que se possa produzir mais com qualidade de trabalho e de vida”, comentou.

O presidente do TJRR, desembargador Mozarildo Cavalcanti, destacou que em Roraima foi possível conseguir uma adesão espontânea, e que o programa segue sendo implantado, visando, sobretudo, promover um trabalho de qualidade para os jurisdicionados, que buscam mais que rapidez e produtividade, mas também qualidade em sentenças que ofereçam resultados efetivos à sociedade, que não sejam acometidas por erros que impliquem em retrabalho.
“Além de atendimento de qualidade, a sociedade quer sentenças com a qualidade superior às que já oferecemos”, observou.

Quando esteve em Roraima, no início do mês de junho, o corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, também conheceu o programa e o avaliou como uma iniciativa inovadora e transformadora. “Esse programa demonstra que o TJRR trabalha de uma maneira contínua para alcançar a excelência, e toda ação para a melhoria da prestação jurisdicional merece ser replicada”, declarou.

O programa, que foi elaborado com base em estudos técnicos a respeito dos entraves das áreas jurídicas e administrativistas do tribunal, será disponibilizado pelo CNJ para ser adaptado nos demais tribunais interessados. Um dos tribunais interessados foi o do Mato Grosso.

O coordenador da Gestão de Pessoas do TJMT, Lusanil Egues, buscou informações sobre o programa e comentou sobre a necessidade de implantar nos tribunais. “É uma ação importante. Não só pela busca da melhora da qualidade, mas porque também agrega mais credibilidade ao Judiciário, que passará a oferecer um trabalho ainda melhor”, comentou.

Fonte: TJRR


Tópicos: gestão de pessoas,TJRR