Últimas páginas visitadas

Cerca de 40 servidores do Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) e de empresa terceirizada que atuam no Fórum Criminal de Belém concluíram, na sexta-feira, 27, o 1º Módulo do Curso de Libras, Linguagem Brasileira de Sinais, ministrado pela professora Cassia Mendes.

A iniciativa do curso, por meio da Secretaria de Gestão de Pessoas do TJPA,  tem o objetivo de capacitar e ampliar a comunicação entre servidores e jurisdicionados, garantindo o direito à informação e à acessibilidade de pessoas com necessidades auditivas, que usam a Linguagem de Sinais. 
Esta é a segunda turma promovida pelo TJPA. A primeira foi criada em outubro de 2016, e contou com 32 participantes. Para a turma de 2018, foram ofertadas vagas para servidores do TJPA e também para trabalhadores da empresa prestadora de serviços, lotados no Fórum Criminal, por solicitação da direção. No quadro funcional da empresa terceirizada estão duas jovens com necessidades auditivas.
Funcionária da CriaArt lotada na copa do Tribunal do Júri, Silvana Barros, lembrou que em dois juris realizados no Fórum de Belém, sentiu necessidade de compreender a linguagem de sinais. Num dos juris, todos as testemunhas e acusado eram pessoas que se comunicavam através de sinais. A participante festejou a oportunidade de fazer o curso e promete que vai treinar bastante com a colega de trabalho Shirley Silva.
Claudia Ribeiro lotada na Direção do Fórum, participante do curso, contou que, um cidadão que aguardava audiência no Fórum Criminal queria saber onde era o banheiro, e tentou se comunicar com a servidora sinalizando para o pulso a servidora que ele queria saber a hora.  Só com a chegada de tradutora é que o homem teve sua necessidade atendida.
O oficial de justiça José Luiz Santos também viveu situações no trabalho e no trabalho voluntário que presta à comunidade do bairro da Pedreira também se viu impossibilitado de se comunicar por desconhecer totalmente a Linguagem Brasileira de Sinais,
A expectativa da turma é de realizar o 2º Modulo, para exercitar e aprimorar mais o aprendizado inicial do primeiro módulo.
Graduada em Letras de Linguagem Brasileira de Sinais pela Universidade de Santa Catarina, Cassia Mendes informou que no Estado as universidades públicas, como UFPA, UEPA e EFRA já oferecem o Curso em Libras, sendo pioneira no Brasil a Universidade do Estado de Santa Catarina.
A Linguagem Brasileira de Sinais é considerada o 2º Idioma Oficial, instituída através da Lei 5.626, de 22 de dezembro de 2005, pelo então presidente Luis Inácio Lula da Silva. No último dia do curso os participantes fizeram uma avaliação escrita e em seguida a gestual.
Organizado pela Gerência de Capacitação, Articulação e Extensão (GECAE) e coordenado pelo Centro de Capacitação de Profissionais de Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez (CAS) e Centro de Tecnologias Assistivas (CETEP), o curso tem como objetivo difundir o uso da LIBRAS, favorecendo a comunicação entre surdos e ouvintes no desempenho das atividades profissionais e nas relações sociais.

Fonte: TJPA


Tópicos: Acessibilidade,Língua Brasileira de Sinais - Vlibras

SEPN Quadra 514 norte, lote 9, Bloco D CEP: 70760-544 

Telefones - 55 61 2326-5000 Horário de atendimento ao público: das 12h às 19h, de segunda a sexta-feira, exceto nos feriados.

W3C Válido