Últimas páginas visitadas

TJPR  adotou a intimação por WhatsApp nos Juizados Especiais, atualizou seu parque tecnológico e adquiriu novos equipamentos de videoconferência,  FOTO: IRWL
TJPR adotou a intimação por WhatsApp nos Juizados Especiais, atualizou seu parque tecnológico e adquiriu novos equipamentos de videoconferência, FOTO: IRWL

      Durante o primeiro ano de gestão da atual Cúpula Diretiva do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) o Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação (DTIC) prestou uma importante contribuição à celeridade processual, implementando novas ferramentas tecnológicas. 

  Iniciativas como a implementação de intimação por WhatsApp nos Juizados Especiais, atualização do parque tecnológico e aquisição de novos equipamentos de videoconferência, por exemplo, foram realizadas por meio do trabalho dos servidores de seis divisões e três assessorias do Departamento.

 

Projudi

      Um dos pontos centrais para a administração do Tribunal de Justiça do Paraná é o foco na celeridade processual, principalmente por meio da implementação do processo eletrônico. Diante disso, importantes alterações foram feitas no principal sistema judicial utilizado pelo TJPR. O Projudi, que antes era restrito aos processos do 1º Grau, em 2017 passou a recepcionar os recursos ao 2º Grau. Essa integração transformará o processo físico no 2º grau uma exceção, e não mais a regra.

     A correição virtual também se tornou possível por meio de melhorias realizadas no sistema Projudi. A coleta de dados é feita pela Corregedoria de forma remota, em ambiente virtual, com análise quantitativa e qualitativa das informações das unidades judiciais, para geração de relatórios de inspeção.

Atendimento a solicitações específicas

     Em março de 2017 foi implantada a Central de Mandados no Foro Central de Curitiba. Uma plataforma virtual já existente foi aperfeiçoada pelo Departamento para atender às necessidades da nova unidade. Em poucos meses de funcionamento, houve uma redução considerável no tempo médio de cumprimento de mandados, que passou de 34 dias, antes da implantação, para 10 dias em junho de 2017.

     Nos últimos meses o DTIC desenvolveu e implantou o novo Sistema de Gestão Bibliotecária (SisBib). Ele permite a consulta de disponibilidade de exemplares, reservas, renovações e autorizações para que terceiros retirem as obras. Com esse novo sistema foi eliminado o comprovante de empréstimo e devolução impresso.

      Entre os meses de setembro de 2017 e março deste ano foi realizada a instalação de sistemas de gravação digital para 75 salas de audiências e 24 salas de audiência para depoimento especial de crianças e adolescentes, com o objetivo de atender ao que determina a Lei n.º 13.431/2017.

Melhorias em sistemas administrativos

    Em relação ao desenvolvimento e melhorias dos sistemas de suporte às atividades administrativas do Tribunal, o DTIC implementou melhorias em plataformas como o Hércules, utilizado principalmente pelo Departamento de Gestão de Recursos Humanos (DGRH), e o Hermes, utilizado pelo Departamento do Patrimônio para a gestão dos bens permanentes.

    No sistema Hércules, foi realizada a implantação do processo de Licença Especial dos servidores, que passou a ser concedida com mais rapidez, diminuindo o tempo de análise, cadastramento e publicação. Hoje a maioria dos procedimentos funcionais é realizada por meio desse sistema, desenvolvido inteiramente pelo DTIC.

     Outra novidade, que está otimizando o trabalho do Departamento do Patrimônio é a ferramenta desenvolvida pelo DTIC, dentro do sistema Hermes, para a realização de inventários descentralizados pelas próprias unidades judiciais e administrativas. Isso tornará o processo de atualização do cadastro dos bens do TJPR mais rápido, com significativa redução de custos, pois os servidores do Departamento do Patrimônio não irão mais precisar se direcionar a unidades distantes, como as Comarcas do interior, para a realização da tarefa.

Armazenamento seguro de dados

      No ano passado foi concluída a aquisição de 2 storages (dispositivos de armazenamento) com capacidade de 1 PB (penta byte) cada, o equivalente a 1 milhão de gigabytes. O objetivo é garantir uma adequada estocagem de dados, tendo em vista a necessidade de inserir uma grande quantidade de arquivos, contendo gravações de audiências nas unidades judiciais, dentro da plataforma do sistema Projudi.

     Além dos storages, outros tipos de dispositivos que contêm sistemas, aplicações e serviços de informática, como os servidores, as unidades de backup e os equipamentos de rede, atualmente estão armazenados e em operação na Sala Cofre, que centraliza o ambiente de tecnologia do TJPR. No primeiro semestre de 2017 iniciou-se a construção da Sala Segura, que irá gerar redundância (duplicidade da infraestrutura), dividindo o ambiente de tecnologia do TJPR. Isso fortalecerá a segurança, pois, se algum equipamento falhar, outro poderá assumir sem interrupção no processamento das informações. A entrega definitiva desta sala está prevista para o primeiro semestre deste ano.

Equipamentos para o 1º Grau

    Para atender à demanda do 1º Grau, em setembro foi finalizada a compra de 80 switches, já em utilização nas Comarcas do interior. São equipamentos que possibilitam a conexão de vários computadores em rede, evitando a “colisão” de informações de diversas fontes. Desse modo o desempenho das redes é priorizado e a comunicação de dados fica sempre disponível aos usuários de forma gerenciável e otimizada.

    Entre os meses de setembro do ano passado e janeiro deste ano, também foram entregues 2.750 computadores de mesa (desktops), para substituir parte dos equipamentos com configuração obsoleta, garantindo assim a adequada continuidade da prestação jurisdicional realizada nas Comarcas paranaenses. Também nos últimos meses de 2017 começaram a ser entregues 730 notebooks aos juízes que atuam no 1º Grau. Outros 70 serão utilizados nas salas de sessões da Turma Recursal Única e na Assessoria Correcional da Corregedoria-Geral da Justiça.

   A aquisição de 100 equipamentos de digitalização (scanners) para o 1º Grau teve o objetivo de atender a uma necessidade fundamental para o Poder Judiciário do Paraná. Nos últimos anos o TJPR investiu recursos humanos e materiais com o objetivo de consolidar a virtualização dos processos judiciais, com benefícios ao meio ambiente e à celeridade processual.

Melhoria da comunicação

      Está em fase de implementação uma solução de videoconferência. O sistema suporta a conexão de diversas pessoas, pela internet, de forma simultânea em diferentes localidades, com a reprodução e a gravação de vídeo e de áudio. Já foram distribuídos em Curitiba e em algumas Comarcas de entrância final 18 Terminais de Comunicação FullHD, que contam com dois monitores de 55 polegadas, uma câmera em alta definição e dois microfones com alta sensibilidade de captação do áudio. Além disso, 300 kits para salas de audiência, com webcam e sistema de som, serão distribuídos a todas as Comarcas do estado.

    O DTIC realizou a aquisição, configuração e distribuição de 199 aparelhos celulares para o projeto de Intimação Judicial por WhatsApp. Até janeiro deste ano, foram registradas, em todo o Paraná, mais de 11 mil adesões à ferramenta. O projeto, que está sendo conduzido pela 2ª Vice-Presidência para utilização nos Juizados Especiais, tem o objetivo de reduzir despesas com a expedição de cartas pelos Correios, conferindo celeridade às intimações processuais.

      Um fato de grande relevância para a economia com a comunicação interna no Poder Judiciário do Paraná foi a integração de 100% das 186 centrais telefônicas do TJPR através da tecnologia Voice over Internet Protocol (VoIP). Agora todas as chamadas telefônicas entre unidades administrativas e judiciais são feitas por meio da rede de dados, sem custo para o Tribunal.

Atendimento aos Usuários

     Um importante documento foi disponibilizado aos usuários dos sistemas do Tribunal de Justiça. A Base de Conhecimento, disponível em https://dtic.tjpr.jus.br, foi criada para auxiliar magistrados, servidores e estagiários a acessar os principais procedimentos, informações e soluções para incidentes envolvendo a tecnologia da informação. A novidade da ferramenta é que os usuários também participam do processo de manutenção da Base, interagindo e avaliando a qualidade das informações. Atualmente, a Base de Conhecimento conta com cerca de 160 mil acessos realizados, em cerca de 2.500 artigos.

     A Divisão de Sistemas de Comunicações (DSC) realizou implementações que permitiram que algumas solicitações dos usuários fossem atendidas de forma automatizada, sem a necessidade de intervenção manual dos técnicos da DSC, em especial os serviços relacionados a liberações de e-mail, internet e login de rede. Um total de 24.739 chamados foram atendidos pela DSC em 2017, 8829 deles (35%) de forma automatizada.

    Em todo o ano passado o DTIC registrou 99.681 chamados de assistência técnica. Em média, 75% dos foram atendidos em até 4 horas. Outros números referentes ao atendimento ao público interno foram expressivos: 8.351 atendimentos efetuados a magistrados, 32.401 ligações telefônicas e 15.846 e-mails respondidos.

 


Tópicos: Comissão Permanente de Tecnologia da Informação e Infraestrutura

SEPN Quadra 514 norte, lote 9, Bloco D CEP: 70760-544 

Telefones - 55 61 2326-5000 Horário de atendimento ao público: das 12h às 19h, de segunda a sexta-feira, exceto nos feriados.

W3C Válido