.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo

A parceria da Vara da Infância e da Juventude do DF (VIJ-DF) na arrecadação de livros paradidáticos para o Projeto Leitura - a Arte do Saber, desenvolvido pela Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude do Governo do Distrito Federal (GDF), chega a sua última semana. Até esta sexta-feira (15/5), é possível doar livros paradidáticos nas diretorias dos fóruns do DF. Porém, quem ainda quiser doar livros depois dessa data pode procurar as secretarias de estado, os postos do serviço Na Hora, a Câmara Legislativa e a Biblioteca Nacional, uma vez que o GDF estenderá a campanha até o final do mês de maio.

Os livros serão destinados aos adolescentes do sistema socioeducativo e, até o momento, foram arrecadados 4.050 exemplares no TJDFT com o apoio de magistrados, servidores, estagiários e terceirizados. Segundo o supervisor substituto da Rede Solidária Anjos do Amanhã, Gelson Leite, o apoio do voluntariado corporativo foi relevante para sensibilizar e convocar doadores. “Os supervisores das diretorias dos fóruns (titulares e substitutos) deram uma demonstração importante de engajamento e parceria. Eles afixaram cartazes, passaram de sala em sala, vigiaram as caixas de coleta, fizeram a triagem dos livros e contabilizaram as doações. A Rede Solidária ganhou braços e asas nos fóruns”, diz.

Em alguns casos, os parceiros utilizaram de muita criatividade, como a Diretoria do Fórum do Paranoá, que enfeitou a caixa de coleta e fez a filtragem dos livros em didáticos (que não são o foco desta campanha), paradidáticos e infantis. No Fórum de Planaltina, servidores da Diretoria fizeram doações expressivas e, na Vara de Execução de Medidas Socioeducativas (Vemse), uma servidora mobilizou os colegas e a sua própria mãe a doar livros, seguindo lista de sugestões.

Caminho para a mudança - Na VIJ-DF, dois escritores doaram livros de sua autoria, bem como a diretora administrativa da vara, Simone Resende, que ofertou alguns exemplares, entre eles o clássico “Robinson Crusoé”. “Fiz as minhas doações, pois acredito na leitura como caminho para a mudança. A partir da implantação do Projeto na Unidade de Santa Maria, os adolescentes ampliaram o vocabulário e aprimoraram a forma de se expressar. Sem contar que os livros permitem aos internos saírem daquele espaço físico e se transportarem para a história”, disse.

No Fórum de Sobradinho, a supervisora da limpeza, Silvana Cabral, doou 30 livros e incentivou sua equipe a fazer o mesmo. “Leitura é aprendizado, informação e conhecimento. O melhor livro que li até hoje, e que doei para a campanha, foi “Um amor de verdade”, de Zíbia Gasparetto, que traz uma mensagem de fé, de estímulo à autoestima e ensina a lidar com as pessoas e as adversidades”, afirmou.

Outro exemplo de peso foi o do servidor Demócrito Moreira, do Fórum de Planaltina, que articulou com o Colégio Mackenzie, no Lago Sul, a doação de mil livros paradidáticos, além do exemplo da servidora Deusa Dania Barakat, do Fórum de Taguatinga, que doou sozinha mais de 100 livros literários. O engajamento do voluntariado corporativo só reforça a máxima de que devemos fazer o bem, sem olhar a quem. A solidariedade é um bom ensinamento para os jovens do sistema socioeducativo que estão querendo virar a página e construir um novo futuro.

 

Fonte: TJDFT


Tópicos: TJDFT,cadastro nacional de adolescentes em conflito com a lei