.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo
Com o propósito de descortinar uma nova perspectiva para execução de seus projetos, a Direção do Tribunal de Justiça do Acre tem se reunido, nestes últimos dias, com representantes do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). A Administração do TJAC tem procurado outras vias para implementar o seu Planejamento Estratégico, em virtude das dificuldades orçamentárias.
O Desembargador-Presidente Adair Longuini assinalou que o Programa ligado à Organização das Nações Unidas (ONU) poderá contribuir com o Tribunal em vários aspectos, especialmente na área administrativa e de gerenciamento. "Como o PNUD tem ampla atuação na área de apoio administrativo, gerencial e de gestão, inclusive do Judiciário, poderá nos auxiliar em várias empreitadas, e nos ajudar a consolidar setores como o Controle Interno. Queremos primeiramente conhecer as atividades nas quais eles atuam, para depois firmarmos os convênios, que possam nos trazer benefícios, como uma gestão mais segura, dinâmica e mais eficiente”, considerou Longuini.

O Presidente do TJAC sinalizou que a parceria propiciará apoio técnico, operacional e gerencial, por meio de acesso a metodologias, planilhas, conhecimentos e consultoria especializada do Programa das Nações Unidas.

Representante da equipe técnica do PNUD, Moema Freire aventou a possibilidade de uma parceria com o TJAC. “Viemos a convite do Tribunal, e tivemos reuniões com o intuito de apresentar o que o PNUD faz, nossas práticas e experiências, e verificar as parcerias que podem ser construídas. Queremos saber quais são as principais necessidades e projetos do Judiciário do Acre, para identificar como podemos contribuir para que eles sejam implementados”, afirmou.

Ela também informou o interesse do Tribunal de Justiça Acreano no sistema de governabilidade que o PNUD oferece, sobretudo na temática de redução de custos, revisão de processos, informatização e gestão eletrônica de documentos, além de áreas fins, como o Justiça Comunitária.

O Diretor de Planejamento do TJAC, Idalécio Galvão, que participou junto com sua equipe das reuniões, ressaltou que será definida uma agenda de trabalho para formatar as propostas de convênios, que serão validados e, em seguida, executados.

A Desembargadora Eva Evangelista, coordenadora do Programa Justiça Comunitária, e a Diretora Geral do TJAC, Ana Lovisaro, também participaram da reunião.

O que é o PNUD
O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) é a rede global de desenvolvimento da ONU presente em 166 países. Seu mandato central é o combate à pobreza. Trabalhando ao lado de governos, iniciativa privada e sociedade civil, o PNUD conecta países a conhecimentos, experiências e recursos, ajudando pessoas a construir uma vida digna e trabalhando conjuntamente nas soluções traçadas pelos países-membros para fortalecer capacidades locais e proporcionar acesso a seus recursos humanos, técnicos e financeiros, à cooperação externa e à sua ampla rede de parceiros.

No Brasil, o PNUD está presente desde o início da década de 1960, criando e implementando projetos, buscando responder aos desafios específicos do país através de uma visão integrada de desenvolvimento. Os temas centrais de atuação do PNUD Brasil são a modernização do Estado, o combate à pobreza e à exclusão social, a conservação ambiental e o uso sustentável de recursos naturais.


O  Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento executa atualmente no Brasil cerca de 100 projetos em diferentes áreas. Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento humano, o combate à pobreza e o crescimento do país nas áreas prioritárias, o PNUD Brasil tem a constante missão de buscar alinhar seus serviços às necessidades de um país dinâmico, multifacetado e diversificado. Os projetos são realizados em parceria com o Governo Brasileiro, instituições públicas, financeiras internacionais, setor privado e sociedade civil.


Fonte: Assessoria de Comunicação do TJAC (Com informações do site oficial do PNUD)