.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo
Foto: Gilmar Ferreira/ Agência CNJ
Foto: Gilmar Ferreira/ Agência CNJ

A Corregedoria Nacional de Justiça inicia na próxima segunda-feira (18/3) os trabalhos de inspeção nos setores administrativos e judiciais do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) e das serventias extrajudiciais do estado.

O procedimento, determinado pela Portaria n. 05, de 14 de fevereiro de 2019, tem por objetivo verificar a situação atual do Poder Judiciário de Alagoas, havendo ou não evidências de irregularidades, assim como a evolução dos trabalhos judiciais após a última inspeção, realizada em maio de 2018.

Participam da inspeção a desembargadora federal Daldice Santana, conselheira do Conselho Nacional de Justiça; os juízes federais Marcio Luiz Coelho de Freitas (TRF1) e Kelly Cristina Oliveira Costa (TRF2); os juízes estaduais Luiz Augusto Barrichello Neto (TJSP) e Alexandre Chini Neto (TJRJ); além de oito servidores.

Todo o trabalho será coordenado pelo ministro Aloysio Corrêa da Veiga (TST), conselheiro do CNJ e corregedor nacional de Justiça substituto, em razão de o corregedor nacional de justiça, ministro Humberto Martins, não atuar nos processos relativos aos órgãos jurisdicionais de Alagoas.

Os dados coletados durante a inspeção ajudarão no planejamento estratégico da corregedoria para o aprimoramento do serviço jurisdicional prestado no estado. Durante o procedimento, que ocorrerá até o dia 22 de março, os trabalhos forenses e os prazos processuais não serão suspensos. 

Atendimento ao público

Nos dias 18, 19 e 21 de março, o ministro Aloysio Corrêa da Veiga fará atendimento ao público. Na oportunidade, os cidadãos poderão fazer reclamações, solicitar informações ou sugerir melhorias para o serviço jurisdicional no estado.

As audiências serão realizadas em sala localizada no 2º andar do Edifício Sede do TJAL. No dia 18 o atendimento começará às 15h e nos dias 19 e 21 a partir das 14h.

Corregedoria Nacional de Justiça


Tópicos: corregedoria nacional de justiça