.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo

A busca por modernidade e eficiência para a Justiça brasileira deve ser a tônica da atuação do CNJ para os próximos meses, de acordo com avaliação da conselheira Ruth Carvalho.  Segundo a conselheira, o CNJ deve aprofundar seu trabalho de planejamento, definindo e fixando planos de metas, "com a participação dos órgãos do Poder Judiciário e das associações representativas das carreiras jurídicas". Ruth Carvalho também pondera que o CNJ deve criar programas de avaliação institucional e de funcionamento do Poder Judiciário, "tendo em vista o aumento da eficiência, racionalização, acréscimo da produtividade e maior eficácia do sistema, garantindo mais segurança, celeridade e acessibilidade aos serviços da Justiça".

A Conselheira avalia que o principal desafio que se coloca para o futuro do CNJ é "buscar, cada vez mais, o respaldo da sociedade e da comunidade jurídica, que tem no Conselho legítimo canal, instituído constitucionalmente, para o aperfeiçoamento da Justiça brasileira".