.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) quer formar uma rede entre os tribunais de justiça de todo o país para encaminhar a organização e a realização do Dia Nacional de Conciliação. O evento se realiza em 8 de dezembro deste ano, dentro das atividades previstas pelo Movimento pela Conciliação. Para construir a rede, o Conselho já enviou pedido aos presidentes de tribunais para que indiquem responsável pela mobilização.

Este grupo se reúne em Brasília na próxima quarta-feira (04/10) com os coordenadores do Movimento pela conciliação, desembargador Marco Aurélio Buzzi e juíza Mariella Ferraz, com o objetivo de sugerir coordenadas e metas que possam ser adotadas mediante consenso nacional.

Para a juíza Mariella Ferraz, é importante o engajamento dos tribunais, para que possam assumir o desenvolvimento do evento em âmbito estadual. "Ninguém melhor que as pessoas indicadas pelos tribunais para conhecer o foco de litígios que merecem especial atenção e direcionamento para o evento". Segundo a coordenadora, a fase de ação se inicia agora. "Saímos da fase de preparação e partimos para a fase de ação, para mostrar à sociedade o comprometimento e a atitude com o movimento".

O Desembargador Marco Aurélio Buzzi também ressaltou a importância da participação dos tribunais, por serem o meio de acesso à capilaridade que a justiça estadual possui. "É pelos coordenadores estaduais, que o movimento vai chegar ao interior dos estados e ter acesso à capilaridade da prestação jurisdicional", disse.