.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo

A Justiça de Roraima tem ótimas condições para implementar o processo virtual, já que todas as comarcas, da capital e do interior, estão interligadas via satélite, de maneira que é possível virtualizar todo o sistema de uma só vez. A avaliação é do secretário-geral do CNJ, juiz Sérgio Tejada, que participa, em Boa Vista (RR), de um workshop sobre processo virtual, organizado pelo Tribunal de Justiça do Estado, dentro das programações da instalação de juizado itinerante. Este juizado também deverá ser virtualizado, segundo as metas do TJ-RR.

O TJ de Roraima é um dos 19 tribunais de todo o país que receberam os códigos-fontes do sistema de processo virtual desenvolvido em software livre pelo CNJ para sua implementação em fase de testes. Os técnicos daquele tribunal já trabalham na adaptação do sistema para as suas necessidades. Após esta primeira etapa em vários tribunais, serão feitas as eventuais alterações necessárias e o sistema será oficialmente lançado e disponibilizado, sem custos, a todos os segmentos do Judiciário e a outras organizações interessadas.

Sérgio Tejada fez palestra de apresentação do sistema e uma demonstração de como funciona o processo virtual. Além disso, representou a presidente do CNJ, ministra Ellen Gracie, em solenidade de instalação da primeira fase da virtualização em Roraima. Na oportunidade, foi inaugurada placa alusiva ao evento, onde é possível perceber a importância que o sistema tem para o Estado: "A virtualização do processo na justiça mais setentrional do País é um desafio para propiciar um sistema cada vez mais conectado, interativo e em tempo real".